Entrevista com Marcelo Branco, diretor do Campus Party Brasil 2008

julho 30, 2007

Entrevista com Belinda Galiano, diretora do Campus Party 2007

julho 30, 2007

Belinda faz uma breve análise sobre o evento em Valencia e avisa que em 3 semanas estará no Brasil começando a preparação do evento em São Paulo..


Entrevista com Jon Maddog Hall concedida ao jornal El Pais..

julho 30, 2007

Adiós Valencia!

julho 28, 2007

Este é o último post feito aqui de Valencia, infelizmente. Logo mais parto para Madrid e amanhã cedo vôo para o Brasil onde, sei, vou reencontrar o caos aéreo que se instaurou e que permanece insolúvel.

O Campus Party foi uma experiência fantástica. Um evento de altíssimo nível com uma integração perfeita entre todas as partes envolvidas. E ainda por cima nesta cidade linda que é Valencia..

Preparem-se porque amanhã mesmo já começam os trabalhos voltados à organização do Campus Party Brasil, que acontece em São Paulo de 11 a 17 de fevereiro de 2008.

Fui convidado para integar o qualificadíssimo time que coordenará este projeto em São Paulo, liderado pelo brasileiro Marcelo Branco. É claro que aceitei!

Volto ao blog quando chegar. Hasta la vista!

Carlos Gerbase, Luciana Tomasi, Alexandre Youssef e Sergio Amadeu, parceiros de Campus Party e cervejadas pelos bares valencianos..

amigos1.jpg


O novo invento do Papa do Software Livre..

julho 28, 2007

John “Maddog” Hall, presidente da Linux , é o papa do Software Livre. Uma figura fantástica, tanto pelo visual -parece o Papai Noel dos livros infantis- quanto pelo incansável trabalho voluntário que faz desde 1969 em defesa de programas abertos para computadores.

O apelido -cachorro louco em inglês- Jon ganhou dos seus alunos nos anos 70. Gostou tanto que aderiu ao seu próprio nome. Mad Dog já fez de tudo na vida, foi programador, projetista, administrador de sistemas e técnico de marketing em grande empresas norte-americanas de tecnologia. Em 1995 foi para a Linux e nunca mais saiu.

Hoje o presidente da Linux roda o mundo divulgando a tese do software livre que, segundo suas próprias palavras, é uma revolução sem volta.

Jon Maddog Hall fez a última e talvez a mais importante conferencia do Campus Party 2007. Falou evidentemente sobre a importância do software livre mas dedicou a maior parte da palestra a um novo equipamento, chamado Thin Client, criado para funcionar como ferramenta de inclusão digital nos países mais pobres.

O conceito é o mesmo do projeto OLPC (um laptop por criança), desenvolvido pelo MIT e apresentado ontem pelo brasileiro Marcelo Tosatti. O Thin Client funciona como um terminal de computador, consome pouquíssima energia e deverá ter um preço unitário final em torno de 150 dólares.

Maddog informou que esteve no Brasil reunido com a equipe do presidente Lula oferecendo o Thin Client para a montagem de redes públicas de acesso à internet nas favelas e nos bairros de periferia. Segundo o presidente da Linux, neste momento, a área técnica do governo brasileiro está avaliando o equipamento.

Nas diversas entrevistas concedidas à imprensa internacional Maddog citou a importância do movimento pelo software livre no Brasil, para ele uma referência mundial na busca de soluções democráticas para projetos de inclusão digital.

Maddog na apresentação do “Thin Client”

mad-dog-3.jpg

..e o Thin Client no detalhe

thin-client.jpg


Já somos 50 milhões de internautas no Brasil !!

julho 28, 2007

Surpreendente! É o mínimo que se pode dizer sobre esta informação, divulgada hoje pela revista Meio e Mensagem em sua edição on-line. O assunto vai explodir na segunda-feira, quando a pesquisa feita pelo Instituto Datafolha for publicada.

Os dados foram coletados em 200 municípios no mês de março e revelam que 39% da população, considerando apenas os cidadãos com mais de 16 anos, acessam a rede mundial de computadores. E que 42% dos usuários têm o hábito de inserir algum conteúdo na internet.

Olhem que fantástica a conclusão do Fernand Alphen, diretor de planejamento da F/Nazca, empresa que contratou a pesquisa: “Acho que esses dados começam a nos dar um esboço do porquê do sucesso da internet no Brasil. Na verdade, é porque somos pobres. Por isso a possibilidade de acesso a uma tecnologia abrangente, barata e de fácil manuseio abre novos horizontes”.

Leia a notícia publicada na Meio e Mensagem aqui..


Talento brasileiro no laptop mais barato do mundo

julho 27, 2007

Marcelo Tosatti é um brasileiro de apenas 24 anos que trabalha como programador na empresa Red Hat, maior distribuidora mundial do Linux, sistema operacional de código aberto que qualquer pessoa pode utilizar, modificar e distribuir livremente.

O Linux é, há muito tempo, a maior pedra no sapato de Bill Gates e da Microsoft. É, também, o sistema mais defendido mundialmente pelos adeptos do software livre.

Tosatti tem uma história surpreendente. Começou a mexer com programação aos 11 anos em Curitiba, montando e desmontando máquinas que seu irmão trazia do Paraguai.

Em poucos anos transformou-se em um dos maiores conhecedores e colaboradores do sistema Linux. Aos 19 anos foi escolhido pelo próprio finlandês Linus Torvalds, criador do Linux, para manter e revisar a versão 2.4 do sistema, que transformou-se na versão 2.4.16, a mais popular já existente.

Marcelo Tosatti fez no Campus Party uma concorrida conferência sobre sua nova missão na Red Hat: desenvolver os softwares para o Laptop de 100 dólares, um projeto criado pelo Massachussets Institute of Technology e liderado pelo cientista Nicholas Negroponte, maior autoridade mundial em tecnologias digitais.

A criação deste laptop de apenas 100 dólares tem um fantástico objetivo social voltado a educar e levar o conhecimento tecnológico a todas as crianças do planeta, em especial àquelas que vivem nos países mais pobres.

O jovem brasileiro falou sobre este projeto para uma platéia muito atenta. Mostrou o laptop funcionando e detalhou todas as caracteristicas técnicas e operacionais do invento.

O equipamento é fantástico, cheio de recursos inovadores como a possibilidade de receber energia manual ou solar, para facilitar o uso em regiões carentes de eletricidade. O teclado é à prova d’agua e a tela funciona perfeitamente sob a luz do sol.

No final de sua palestra Marcelo Tosatti revelou que o projeto não está finalizado porque o custo do Laptop ainda é de 150 dólares. Mas garantiu que dentro de um ano o equipamento estará disponível pelo preço final de 100 dólares.

O brasileiro Tosatti e o laptop de 100 dólares..

tosatti.jpg