Debates na TV: o fim de um modelo..

Os debates eleitorais nos canais abertos de TV estão despertando cada vez menos o interesse dos eleitores. Eles trazem consigo uma velha concepção de “oportunidade para o conhecimento dos candidatos e suas propostas” forjada em premissas antigas, do tempo em que não existia a internet e que a comunicação e a informação eram commodities exclusivas de jornais, revistas, rádios e TVs.

Estas eleições estão permitindo uma série de novas reflexões sobre as formas de participação da população no debate político. Pela internet cada eleitor ganhou o direito de protagonizar a disseminação de informações e diariamente aumenta o número de pessoas que exercem ativamente o papel de formadores de opinião dentro das suas redes de relacionamento online.

O direito à manifestação de idéias e ao debate permanente de temas políticos através das plataformas web e mobile está reformulando a própria lógica da interdependência da classe política e do poder público com os meios de comunicação.

A horizontalidade no compartilhamento e na distribuição de informações pela rede, além de democratizar o processo político, quebra a espinha dorsal do poder que sempre detiveram as empresas da chamada “mass media”, na medida em que desaparece a necessidade orgânica de intermediação entre a fonte, a informação e o cidadão.

Surge e se consolida então com a internet o poder de geração e distribuição de informações em tempo real, antes possível para um cidadão somente em sua rotina offline, em casa, no trabalho, nas ruas. E quase sempre limitado aos ambientes de relacionamento próximos a cada indivíduo.

No mundo offline, jamais as pessoas tinham acesso direto aos candidatos, aos governantes ou às estruturas que os cercam. Hoje, com a internet, as demandas e respostas são imediatas, o que vem causando uma verdadeira revolução no comportamento historicamente conservador, autoritário e arrogante das classes políticas em relação à sociedade civil.

Este novo e democrático ambiente de atuação e manifestação individual que se constrói e se movimenta pela internet, em especial pelas redes sociais, não tira ou diminui a importância da experiência vivida por cada eleitor no seu dia-a-dia, mas gera novos poderes aos cidadãos. Principalmente o poder de informar e ser inforfmado a partir de critérios pessoais construídos em redes de confiança.

Os debates nas redes abertas de TV trazem o ranço da comunicação vertical e da informação unidirecional, na medida em que não permitem, nas suas dinâmicas, nenhuma forma de interação ou participação dos eleitores. Um modelo de produto midiátiico fadado a se extinguir por inanição.

As empresas de comunicação de massa só insistem neste modelo de debates porque relutam em aceitar a revolução de matrizes gerada pelas mídias sociais através das diversas redes e ferramentas de relacionamento, participação e interação, totalmente sob domínio dos internautas.

Muito em breve todos os telespectadores serão internautas. Este será o passo definitivo para que os debates nas TVs se esgotem como modelo de comunicação com os eleitores. A nova organização social que se forma pela internet determinará as melhores formas de conhecer os candidatos e suas propostas. Com certeza este será um processo diário, em tempo real e que pautará a mídia offline, o que de fato já vem ocorrendo nesta campanha.

Anúncios

4 Responses to Debates na TV: o fim de um modelo..

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Yuri Soares Franco, Polaca Rocha and Edelmar Reis, Roberto Andrade. Roberto Andrade said: Debates na TV: o fim de um modelo.. http://bit.ly/dzhSO6 […]

  2. Leandro disse:

    Roberto,
    Concordo com vc. Mas acho que isso vai demorar um pouco, somente quando a grande maioria da nossa população tiver acesso a internet e acima de tudo “consciência” do poder que tem nas mãos e que essas grandes empresas vão realmente mudar o estilo. Enquanto isso, debates sem interação com o público vai continuar a existir eu acho.

  3. nortonlimajr disse:

    debates serao a forma de medir o temperamento dos candidatos, nao temos uma cultura do debate, sao sempre escondidos, tarde da noite, na programaçao, deveriam ser por temas para permitir checar o nivel de conhecimento vertical dos assuntos, verticalidade que preside a ciencia da decisao…

  4. Dj Vivi Reis disse:

    O Jornalismo também nunca mais será o mesmo no Brasil depois destas eleições…Finalmente a voz do povo está sendo ouvida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: